Na primeira semana útil após a volta integral da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis, as montadoras anunciaram promoções com preços antigos. As tabelas oficiais já trazem aumentos de 3,6% a 4,3%, correspondentes ao repasse do IPI.

Na primeira semana útil após a volta integral da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis, as montadoras anunciaram promoções com preços antigos. As tabelas oficiais já trazem aumentos de 3,6% a 4,3%, correspondentes ao repasse do IPI. Mas, como as lojas estão com estoques altos, a maioria dos modelos segue com preços iguais aos cobrados até 31 de março. A previsão é vender cerca de 270 mil veículos em abril, após o recorde de 353,8 mil unidades no mês passado, 60% mais que em fevereiro deste ano e 30% mais que em março de 2009. No trimestre, as vendas totais, incluindo caminhões e ônibus, cresceram 17,9% em relação ao mesmo período do ano passado, para 788 mil veículos. Para o presidente da General Motors, Jaime Ardila, enquanto houver estoque de carros faturados com o IPI antigo, as concessionárias "farão de tudo para que o consumidor possa ainda se beneficiar do corte do imposto". Para atrair consumidores para as lojas, na tentativa de desovar estoques, a GM lançou ontem a campanha "Chevrolet na mão", que sorteará 25 modelos Celta e Agile entre compradores de carros novos da marca. O garoto-propaganda da campanha é o ex-jogador de basquete Oscar Schmidt. A Ford está com a promoção "Etiqueta vermelha", com selos identificando os modelos oferecidos sem o repasse do IPI, cuja redução durou de meados de dezembro de 2008 até 31 de março deste ano. A Volkswagen realiza feirão no sábado, no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo. "O consumidor pode comprar um carro hoje com o mesmo desconto da semana passada, e com a vantagem de já vir emplacado", diz o economista Ayrton Fontes, da Msantos.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.