Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lobão reafirma que não há acordo sobre usinas da Cesp

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, reiterou hoje que não foi fechado nenhum acordo com o governo do Estado de São Paulo em relação à renovação das concessões das usinas hidrelétricas de Jupiá e Ilha Solteira, da Companhia Energética de São Paulo (Cesp). O que houve foi uma visita do governador José Serra ao gabinete da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, que falou sobre isso.

Agência Estado |

Não somente sobre a concessão da Cesp como também de outras empresas, cujas concessões vencem a partir de 2015", disse Lobão, que visitou esta manhã as obras da usina hidrelétrica Corumbá III, no município goiano de Luziânia, a 130 quilômetros de Brasília. O encontro da ministra Dilma com José Serra foi na última quinta-feira (dia 4).

Lobão disse que o grupo de trabalho que foi criado dentro o Ministério de Minas e Energia para discutir o que será feito com as concessões que não podem mais ser renovadas, ainda não concluiu os seus estudos. Pela lei atual, a concessão de uma usina só pode ser renovada uma única vez. No caso de Jupiá e Ilha Solteira e de outras usinas do sistema Eletrobrás, as concessões vencem em definitivo em 2015.

Foi justamente por não haver uma definição com relação a essas concessões que o leilão de privatização da Cesp fracassou no início do ano, já que os investidores temiam assumir o controle de uma empresa que iria perder em pouco tempo usinas que representam 67% de sua capacidade de geração.

A usina de Corumbá III, visitada hoje por Lobão, deverá começar gerar energia em fevereiro de 2009. A usina terá capacidade para produzir 93,6 megawatt (MW), o suficiente para abastecer uma população de 500 a 700 mil pessoas. O consórcio que está construindo a usina é liderado pela empresa Neoenergia e integrado por outras empresas como a Companhia Energética de Brasília (CEB).

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG