O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje que, se forem confirmadas todas as expectativas sobre a futura produção de gás do campo de Júpiter, na Bacia de Santos, é possível que, no futuro, o Brasil passe a ser exportador de gás natural. Como Deus é nosso amigo e patrono, vai nos ajudar para que Júpiter tenha de fato todo o gás que imaginamos, e aí vamos exportar gás, declarou, em audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados.

A situação do Brasil, atualmente, é exatamente oposta à desejada pelo ministro de Minas e Energia. O País depende da importação de 30 milhões de metros cúbicos diários de gás natural da Bolívia para manter o já tênue equilíbrio entre a oferta e a demanda do insumo no Brasil. Lobão lembrou que além dos 30 milhões de metros cúbicos da Bolívia, a Petrobras já produz hoje 20 milhões de metros cúbicos diários. "Até o fim do ano, a oferta no Brasil deverá passar de 50 milhões de metros cúbicos por dia para 80 milhões de metros cúbicos", anunciou, sem detalhar como se dará este aumento na oferta.

De acordo com dados da Petrobras, esse crescimento deverá vir da ampliação da produção interna e da importação de gás natural liquefeito (GNL) de vários países, inclusive da Venezuela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.