O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou hoje em entrevista que o governo não trabalha com a hipótese de que venha a ocorrer uma batalha judicial em torno da vitória do consórcio liderado pela Suez Energia no leilão de concessão da usina hidrelétrica de Jirau (no Rio Madeira, em Rondônia). Lobão informou também que já está conversando tanto com representantes da Odebrecht - integrante do consórcio perdedor - quanto com dirigentes da Suez Energia.

"Não haverá atrasos nas obras por conta dessa disputa, que terá de encerrar", afirmou. Representantes da Odebrecht têm dito, nos bastidores, que a empresa poderá entrar na Justiça para questionar a intenção do consórcio da Suez de mudar o local de construção da usina.

"Não posso admitir que o interesse nacional seja ferido por causa da briga entre duas empresas. Acredito que elas chegarão a um bom termo. São empresas grandes e hão de se entender", declarou Lobão. Afirmou que sua mediação no debate não inclui a apresentação de qualquer tipo de contrapartida para chegar a um acordo.

O ministro informou que a homologação do resultado do leilão feita hoje pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) pode ser entendida como um primeiro passo para a solução do conflito entre as duas empresas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.