BRASÍLIA - A nova xerife e primeira mulher a comandar a Receita Federal, Lina Maria Vieira, tomou posse nesta quinta-feira e se apresenta amanhã aos jornalistas. Seu antecessor, Jorge Rachid, último secretário indicado pelo ex-ministro Antonio Palocci, excusou-se de justificar a substituição e entra em férias, devendo retornar para outro cargo burocrático no Fisco, onde é funcionário de carreira.

Mineira de Belo Horizonte, advogada de 57 anos, Lina teve sua nomeação publicada nesta quinta no Diário Oficial da União e já começou a trabalhar por volta do meio-dia, depois de encontro para fotografias com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Fontes do próprio Ministério informaram que a ex-superintendente da Super Receita em Recife foi indicada pelo secretário-executivo da Fazenda, Nelson Machado. Mas ele evitou os jornalistas de plantão à porta do Ministério e não respondeu a qualquer pergunta, muito menos sobre o assunto.

Também o ministro Mantega, que tem o costume assíduo de falar ao sair do prédio, driblou jornalistas e fotógrafos por duas vezes, ao deixar seu gabinete pela garagem.

Lina, que mandou avisar que não falaria nesta quinta-feira, convocou entrevista coletiva para as 11h desta sexta-feira para falar sobre o novo cargo, e também anunciar novas medidas sobre a declaração de isento de Imposto de Renda, cujo prazo tradicionalmente vigorava de agosto e a novembro. Há indicações de que a Super Receita vai acabar com essa declaração.

Rachid esteve à frente do Fisco desde o início do governo Lula em 2003, convidado pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e indicado pelo ex-titular da pasta Everardo Maciel, de quem foi secretário-adjunto.

Desde o início de sua gestão, a arrecadação de tributos e impostos federais vem batendo sucessivos recordes, com forte aperto da fiscalização sobre sonegadores e ajudada pelo crescimento da economia. Em agosto de 2007, Rachid assumiu a Super Receita, quando a Receita Federal se uniu à Secretaria de Arrecadação Previdenciária para gerir também as contribuições ao INSS, outra receita que vem batendo recordes mensais nos cofres do governo federal.

Lina é funcionária do Fisco desde 1976 e foi secretária da Fazenda do Rio Grande do Norte por duas vezes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.