A Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) e a Light anunciaram hoje a criação de um grupo de estudos que irá elaborar um sistema de ressarcimento direto de perdas em estabelecimentos comerciais, ocorridas por problemas de falta de luz no Rio. Segundo o coordenador de Relações Institucionais da Fecomércio-RJ, Marcos Neves, o objetivo é que o comerciante não precise mais entrar na Justiça devido aos problemas ocasionados por cortes inesperados de energia.

"O grupo de estudos terá integrantes da Fecomércio e da Light e começa a trabalhar na semana que vem", disse Neves. Ele não descartou a ideia de que o novo sistema possa estar disponível para os comerciantes do Rio já a partir de abril. "Queremos elaborar esta nova metodologia o mais breve possível", afirmou.

Segundo o superintendente de Relações Institucionais e Ouvidoria da Light, Eduardo Luiz Pinto Camilo, a empresa já conta com dois tipos de ressarcimento: uma indenização regulada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para perdas de luz sofridas por consumidores e uma compensação por equipamentos ou materiais perdidos devido à falta de luz.

O objetivo da Light e da Fecomércio com o grupo de estudos é criar uma metodologia que permita ressarcir comerciantes pelo que deixaram de ganhar, por conta da ausência de energia. "Nossa intenção é criar um sistema para tentar mensurar o que deixou de ganhar um cabeleireiro, um florista, devido ao corte de energia. É essa metodologia que o grupo de estudos vai criar", disse Neves.

De acordo com a Fecomércio-RJ, existem cerca de 400 mil estabelecimentos comerciais no Rio. Pesquisa feita nos meses de novembro e dezembro mostra que cerca de 100 mil estabelecimentos tiveram algum tipo prejuízo com os cortes de luz. A perda média foi de R$ 10 mil por unidade comercial. Neves acredita que as perdas com os cortes de luz ocorridos este ano devem ter ficado próximas a este valor, por estabelecimento comercial.

"Na prática, o que queremos é criar um novo canal de comunicação com o cliente que sofreu com cortes de energia", resumiu Camilo. Ele informou que o grupo de estudos vai delimitar quais os documentos necessários que o comerciante deve ter em mãos para entrar em contato com a Light e, assim, dar entrada em processos de ressarcimento. "Nós queremos discutir os ressarcimentos de uma forma administrativa, criteriosa", acrescentou.

Hoje, a Fecomércio-RJ promoveu em sua sede no Rio encontro com a Light e representantes de 12 ramos de comércio e serviços do Rio, como óticas, floriculturas, lojas de ferragens e cabeleireiros. Além da definição da criação do grupo de estudos, a Light se comprometeu a apresentar o plano de investimentos da empresa para este ano às entidades de comércio e serviços da cidade. O plano ainda está em estudo. Em 2009, somente no sistema elétrico, a empresa investiu R$ 388 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.