Nova York, 14 abr (EFE).- A Levi Strauss, empresa que fabrica os conhecidos jeans Levi's, iniciou um processo de reinvenção de sua imagem e pretende aproximar a marca do luxo com a venda de peças mais caras e a abertura de botiques, publicou hoje o "The Wall Street Journal".

Nova York, 14 abr (EFE).- A Levi Strauss, empresa que fabrica os conhecidos jeans Levi's, iniciou um processo de reinvenção de sua imagem e pretende aproximar a marca do luxo com a venda de peças mais caras e a abertura de botiques, publicou hoje o "The Wall Street Journal". Com isso a companhia, com 157 anos de história, quer, além de ser uma referência no setor de roupas básicas, situar-se entre as marcas preferidas dos "fashionistas" ao mesmo tempo em que impulsiona as vendas definidas pelo jornal como "estagnadas". Segundo o "Wall Street Journal", as vendas da Levi Strauss se mantiveram em torno dos US$ 4 bilhões nos últimos anos, bem abaixo dos US$ 7,1 bilhões que a empresa alcançou em 1997. "A Levi Strauss apresentará de novo aos consumidores suas calças jeans de US$ 198", afirma o jornal, que explica que o segmento de alta qualidade é ainda "uma pequena parte de seu negócio". A empresa optou, assim, por abrir "botiques suntuosas", como uma em Londres, dar um novo nome a suas marcas de alta qualidade e contratar diretores que trabalhavam para concorrentes como a Ralph Lauren", detalha o jornal. Em 2009 a companhia criou uma divisão dedicada a roupas de luxo chamada "Levi's XX" em Amsterdã e se esforçou para consolidar outras marcas de qualidade sob dois nomes: Made & Craftedy, na qual utiliza tecidos e acabamentos melhores, e Vintage Clothing, que oferece reproduções de desenhos históricos. Esta semana a Levi Strauss apresentou os resultados relativos ao primeiro trimestre do ano, quando conseguiu um lucro de US$ 56 milhões, 17% a mais que o mesmo período do ano anterior. EFE dvg/pb
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.