SÃO PAULO - As economias emergentes da Europa sofrerão uma recessão abrupta e severa, com queda de 3,1% no Produto Interno Bruto (PIB) em 2009. O prognóstico pessimista foi divulgado pela agência de classificação de riscos Fitch Ratings.

Este grupo de nações que, na classificação da Fitch engloba os países do Leste Europeu e ex-repúblicas soviéticas, sofrerão, desta maneira, a maior crise econômica já vivenciada desde o fim da URSS. "Uma severa recessão, depois do crescimento de 4% em 2008 e de uma média de avanço de 6,8% nos cinco anos até 2007", enfatizou a agência.

O estudo mostra que os países mais vulneráveis são a Hungria e o Cazaquistão, enquanto o que tem menor exposição ao declínio do comércio mundial é a Polônia.

A Fitch Ratings afirmou ainda que estes países poderão começar a experimentar uma leve retomada somente em 2010. "É esperado apenas uma recuperação modesta de 1,4% em 2010, insuficiente para prevenir o crescimento do desemprego e a pressão nas finanças públicas", afirmou o diretor de área de Europa Emergente Soberana da agência, Edward Parker.

Desde agosto do ano passado, a Fitch já diminuiu a classificação de dez países da região da ex-União Soviética.

(Vanessa Dezem | Valor Online com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.