Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lenovo desistiu da Positivo por enquanto, diz fonte

Após examinar a possibilidade de comprar a Positivo Informática, a Lenovo decidiu por ora não tentar adquirir a maior fabricante brasileira de computadores, disse ao The Wall Street Journal uma fonte familiarizada com as decisões do grupo chinês. A oportunidade havia aparecido, disse a fonte.

Agência Estado |

"Mas a Lenovo decidiu não ir adiante com isso por enquanto", acrescentou, recusando-se a dar mais detalhes sobre os motivos da Lenovo.

Nas últimas semanas, as ações da Positivo subiram fortemente em meio a reportagens publicadas na imprensa brasileira, segundo as quais a Lenovo e a norte-americana Dell haviam feito ofertas pela empresa. Com uma participação de cerca de 21,5% do mercado de computadores no Brasil, a Positivo contratou o UBS Pactual para assessorá-la em relação às abordagens. Apenas em dezembro até o dia 16, as ações ON da Positivo negociadas na Bovespa acumulam ganho de 95,83%, embora no ano ainda amarguem uma queda de 73,01%.

Um porta-voz da Lenovo disse que a companhia não tem nada a dizer sobre compras neste momento, mas o presidente-executivo da companhia, Bill Amelio, tem declarado que a Lenovo está focando investimentos que possam ajudá-la a "ganhar escala e consolidar o setor".

Quarta maior fabricante de computadores do mundo, a Lenovo disse na semana passada que estava em discussões preliminares com terceiros sobre possíveis investimentos e compras. A empresa ganhou projeção internacional quando assumiu a divisão de PCs da IBM, em 2005. Desde então, a companhia tomou medidas para expandir as operações para além de sua base original na China, incluindo uma investida agressiva no mercado varejista de computadores, apesar da rápida deterioração da demanda.

"Os diretores gostariam de enfatizar que a companhia de tempos em tempos examina diferentes oportunidades de investimento", disse a Lenovo, em um comunicado da semana passada, após a valorização expressiva de suas ações em Hong Kong devido às reportagens de que estaria negociando a compra da Positivo. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG