São Paulo, 18 - Nos leilões de contratos de opções públicas realizados hoje pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), houve demanda para 100% do milho e para 60,24% do trigo. No leilão de milho, foram negociados os 7,4 mil contratos de opção de venda para os agricultores mato-grossenses, o equivalente a 199,80 mil toneladas.

Os produtores têm até o dia 31 de outubro para comunicar ao governo se vão exercer a opção pública e entregar o milho pelo preço de 14,52 a saca ou se preferem vender o cereal no mercado, caso a remuneração seja maior.

Também foram ofertados 4.130 contratos de opção de venda de trigo para produtores do Paraná (3.700), Mato Grosso do Sul (75), Goiás (75) Minas Gerais (90) e São Paulo (190). Foram negociados 2.488 contratos de 27 toneladas, que têm vencimento em 31 de março de 2009 e preço de exercício de R$ 15.930, o equivalente a R$ 590 a tonelada ou R$ 35,40 a saca. Não houve demanda em Goiás. No Paraná, foi de 57,65%.

O mercado atribui o resultado da comercialização no Paraná ao anúncio, pelo governo, de outras medidas de apoio à safra do trigo, entre elas Empréstimo do Governo Federal (EGF) e Prêmio para Escoamento de Produto (PEP). Produtores e cooperativas decidiram não concentrar suas vendas em opções apostando em outras alternativas.

A Conab também negociou Prêmios de Risco (Prop) para opção privada para milho do Mato Grosso. Foram ofertados 2 mil contratos e negociados 915 contratos de 27 toneladas (45,75% do total). Nesta modalidade, os arrematantes do prêmio se comprometem a adquirir o milho de produtores da região norte do Mato Grosso e escoar para o Nordeste, norte de Minas Gerais e Espírito Santo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.