Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Leilão de biomassa vende 64 milhões de MWh para 2010

Terminou nesta tarde o leilão de energia de reserva, a primeira licitação exclusiva para contratar a energia de biomassa, com a conclusão da negociação para a venda de energia a partir de 2010 (produto 2010). Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o volume total de energia negociado no produto 2010 foi de 64,473 milhões de megawatts-hora (MWh).

Agência Estado |

Em termos de energia assegurada, foram negociados 513 megawatts (MW) médios, sendo 302 MW médios em 2010, 389 MW médios em 2011 e 513 MW médios a partir de 2012.

Pelas regras do leilão, o empreendedor não é obrigado é entregar 100% da oferta da usina logo no primeiro ano de fornecimento. No contrato de energia de reserva, o empreendedor entrega 30% da energia no primeiro ano e depois mais 30% no ano seguinte. Apenas no terceiro ano de operação a usina precisa disponibilizar ao sistema 100% da energia vendida no leilão. Com esse tipo de contrato, o governo quis compatibilizar o fornecimento de energia com a maturação do plantio de cana-de-açúcar das usinas.

A CCEE informou que 28 usinas venderam suas ofertas na licitação. A receita gerada em 2010 foi de R$ 412,238 milhões; em 2011, de R$ 530,053 milhões; e a partir de 2012, de R$ 698,934 milhões ao ano. O preço da energia negociada pelas usinas variou entre R$ 52,69/MWh e R$ 60,04/MWh, valores abaixo do preço inicial de R$ 61/MWh. A maior vendedora individual foi a usina Tropical Bioenergia II, que comercializou 37 MW médios a um preço de R$ 60,04/MWh, obtendo uma receita de R$ 50,504 milhões a partir de 2011 (em 2010, de R$ 31,394 milhões).

O maior grupo vendedor foi a Brenco, que comercializou 108 MW médios de energia a partir de quatro usinas, com um preço que variou entre R$ 52,69/MWh e R$ 55,87/MWh. Das 28 usinas que venderam energia no leilão, 27 projetos usam o bagaço da cana-de-açúcar como combustível e apenas uma usa o capim elefante, a usina BEN Bioenergia. Os contratos firmados para o produto 2010 terão 15 anos de duração e serão da modalidade por disponibilidade. A CCEE ainda não divulgou os dados consolidados da licitação.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG