Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Lehman Brothers se declara em quebra

Washington - O banco de investimentos Lehman Brothers, o quarto dos Estados Unidos, se declarou hoje em quebra em uma iniciativa que embora já fosse considerada inevitável terá grandes conseqüências para o sistema financeiro do país.

EFE |

 

O Lehman informou em comunicado que apresentará a documentação necessária para se declarar em quebra perante o tribunal de Quebras do Distrito Sul de Nova York.

Trata-se da quebra mais importante nos EUA desde 1990, quando o Drexler Burnham Lambert - especialista em "bônus lixo" - apresentou a mesma declaração, .

O Lehman Brothers, que operava há 158 anos, se transforma no terceiro banco de investimento que desaparece ou muda de mãos em seis meses nos EUA, depois que em março o Bear Stearns obrigou a intervenção do Departamento do Tesouro, e ontem à noite o Bank of America comprou o Merrill Lynch por cerca de US$ 50 bilhões.

Segundo disse o afligido banco, nenhuma de seus subsidiárias dedicadas à intermediação de bolsa será incluída na declaração de quebra e continuarão operando com normalidade.

Segundo a firma, a declaração de quebra foi feita para proteger seus ativos e maximizar seu valor.

A quebra do Lehman se considerava certa depois que no domingo fracassaram as conversas entre as autoridades econômicas dos EUA e representantes das principais entidades financeiras para encontrar um comprador.

A situação precipitou não só a compra do Merrill Lynch, por cerca de US$ 44 bilhões em uma operação que dará como resultado um "megagigante" bancário, mas também uma série de iniciativas privadas e públicas para tentar proteger o sistema financeiro das conseqüências da quebra.

A solução inicial para o Lehman, que incluía a venda de seus ativos rentáveis ao grupo britânico Barclays, foi abandonada hoje depois que a entidade do Reino Unido renunciou, por causa da negativa do Tesouro dos EUA em dar respaldo financeiro à operação.

O Lehman Brothers desenvolve negócios com outras entidades financeiras que poderiam ser afetadas pela quebra.

Leia mais sobre Fed

Leia tudo sobre: bancoscrise nos eua

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG