A tormenta que sacode Wall Street provocada pela Lehman Brothers atingiu nesta sexta-feira no mercado financeiro, com a contínua queda da ação do banco de investimentos, enquanto o governo americano tenta encontrar um comprador para a instituição.

O título Lehman caiu 13,51%, a 3,65 dólares, registrando uma baixa de mais de 77% na semana, reduzindo seu valor em Bolsa para 2,5 bilhões de dólares.

Com Lehman à beira da falência, a especulação sobre um acordo para salvar o Banco domina Wall Street, com o debate sobre se o governo americano deve "proteger" qualquer acordo com garantias de crédito, algo amplamente questionado após o caso Bear Stearns, no início do ano.

Alguns relatórios indicam que os funcionários e executivos do Banco tentam chegar a um acordo até este final de semana.

"Os rumores do envolvimento do Banco Central americano voltarão a incrementar a preocupação com o dano moral", disse Ryan Sweet na Economy.com.

"Muitos qualificam como resgate a tomada de controle do Bear Stearns e as recentes medidas de intervenção nos gigantes hipotecários Fannie Mae e Freddie Mac. O que significa que o fracasso de qualquer instituição financeira grande jogará os empréstimos nas nuvens e atingirá o comércio e os investimentos. O momento escolhido para a decisão é ruim, já que o Banco precisa de liquidez para fechar seus balanços de final de ano, e os altos custos dos empréstimos colocarão muitos em dificuldades".

Segundo Cary Leahey, chefe dos economistas da Decision Economis, "isto é muito ruim porque as relações (do mercado financeiro) são tão complexas que simplesmente não se pode saber que consequências terá".

O porta-voz da Casa Branca Tony Fratto disse que o Tesouro dos Estados Unidos "monitora de perto a evolução dos mercados e está em contato com seus atores".

"Não há dúvida de que a indústria financeira enfrenta grandes desafios e de que estamos atentos a sua evolução", destacou Fratto à imprensa a bordo do avião presidencial Air Force One.

O Wall Street Journal revelou que o Bank of America está controlando as candidaturas à compra do Lehman.

Segundo o Financial Times, entre os candidatos estão Bank of America, JC Flowers Co e China Investment Co e Barclays.

As financeiras estão sendo puxadas pela aguda depressão no mercado de imóveis dos Estados Unidos, com reflexos importantes nas instituições bancárias que financiaram a especulação nos mercados.

Washington Mutual, que durante a sessão subiu com os rumores sobre uma eventual compra por parte da JP Morgan, ganhando até 16%, fechou em baixa de 3,53%, a 2,73 dólares. A ação WaMu, que valia cerca de 35 dólares há um ano, perdeu mais de um terço de seu valor desde o início da semana e após a saída de seu dirigente histórico, Kerry Killinger.

O título do ex-número um dos seguros AIG perdeu 30,83%, registrando de longe sua maior queda no índice Dow Jones. Em um ano, a seguradora caiu mais de 80% de seu valor em Bolsa.

vs/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.