Tamanho do texto

SÃO PAULO - A recente mudança no mercado de lácteos - com o recuo de preços por conta da maior oferta - levou o laticínio Jussara, de Patrocínio Paulista, a alterar seus planos de investimentos. A empresa, que no começo do ano anunciou que construiria uma nova fábrica para entrar no segmento de leite em pó em Minas Gerais, mudou o roteiro de sua estratégia.

Em vez da construir, a Jussara comprou uma unidade que pertencia ao antigo laticínios Letícia, na cidade mineira de Araxá. Segundo o diretor comercial da Jussara, Laércio Barbosa, a fábrica passará por readequações. " A maior parte da estrutura está montada. Devemos aproveitar 80% do que está lá " , afirma Barbosa. Entre a compra da planta e as readequações, a Jussara gastará R$ 35 milhões. No projeto anterior, que previa a construção de fábrica, o investimento seria de R$ 50 milhões.

Outra mudança no roteiro é que a empresa decidiu colocar no " fim da fila " o leite em pó, conforme Barbosa. A fábrica de Araxá vai começar processando 200 mil litros por dia no início de 2009. " Vamos começar com leite longa vida, em seis meses teremos iogurte e queijo. Numa segunda etapa, em 2010, ampliaremos a estrutura para processar 400 mil litros/dia e iniciaremos leite condensado " , informa.

Com esse cronograma, o leite em pó, antes prioridade, ficará para 2011. A modificação no cenário atual do mercado de lácteos - com queda de preços - provocou a mudança, segundo Laércio Barbosa.

Recente estudo do banco holandês Rabobank mostra que, apesar da atual acomodação, as perspectivas são positivas para o setor de lácteos no longo prazo. O estudo ressalva, porém, que as projeções otimistas podem ser revistas se a atual crise financeira levar a uma recessão.

Segundo o diretor da Jussara, 50% dos recursos para a fábrica de Araxá serão financiados pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). O restante virá do caixa da empresa.

Além do investimento em Araxá, a Jussara, que tem meta de faturar R$ 250 milhões este ano, anunciou o lançamento de uma linha de bebidas à base de soja, com quatro sabores além do original. A empresa colocou ainda no mercado um linha de leites especiais - com vitaminas A e D, com baixa lactose e com extra cálcio. " Sentimos que existe uma oportunidade de mercado interessante " , observa o diretor.

A empresa tem atuação forte no interior paulista, e vai comercializar as novas linhas também em Minas e no Rio de Janeiro.

Afora a unidade mineira, a companhia tem duas fábricas em São Paulo, uma em Patrocínio, onde produz leite longa vida, leite pasteurizado, creme de leite e as bebidas à base de soja. A outra fica em Pedregulho, onde são fabricados queijos, requeijão e manteiga. Para atender as duas plantas, tem postos de captação de leite em Minas e São Paulo.

(Alda do Amaral Rocha | Valor Econômico)