Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag) espera registrar um movimento de US$ 350 milhões durante a Latin American Business Aviation Conference & Exhibition (Labace), maior feira de aviação executiva da América Latina neste ano. Se confirmado, esse volume representará um aumento de 75% em relação aos US$ 200 milhões movimentados pela feira no ano passado.

De acordo com o presidente da entidade, Rui Thomaz Aquino, o crescimento econômico brasileiro tem impulsionado os negócios do setor. Apesar de chamarmos a aviação executiva de executiva, na verdade ela é aviação de negócios e, assim, quando a economia cresce, aumentam os negócios e a demanda por aviões executivos, afirmou ele, durante o lançamento da feira, hoje, em São Paulo. O momento da economia, portanto, justificaria a expectativa positiva da Abag para a feira.

Aquino notou que a aviação geral brasileira (que inclui a aviação executiva) deve crescer entre 2% e 2,5% neste ano. A maior expansão será vista na aviação executiva, que deve fechar 2008 com expansão de 4% e 5%. Para os próximos cinco anos, porém, a Abag projeta um crescimento anual de 10% na aviação executiva (tanto no caso de jatos como no de helicópteros).

Esse crescimento de 10% já é praticamente certo, já que a estimativa toma por base a produção já comprometida das fabricantes. Se você for comprar um jato executivo da Embraer hoje, por exemplo, ele só será entregue depois de 2012. Portanto, já temos uma idéia do que irá ocorrer no mercado, afirma Aquino.

No total, a aviação geral deve movimentar, segundo a Abag, cerca de US$ 500 milhões em 2008. Nesse valor estão inclusos, segundo Aquino, a compra e venda de aeronaves, peças, serviços e manutenção.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.