Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Kassab defende união de DEM e tucanos com PMDB em 2010

BRASÍLIA - O prefeito reeleito de São Paulo, Gilberto Kassab, defendeu ontem que a parceria DEM-PSDB-PMDB poderá funcionar muito bem em 2010 nas eleições presidenciais. Kassab, que esteve no Planalto para o primeiro encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva depois de derrotar a petista Marta Suplicy, disse que essa coligação não funciona apenas no campo político.

Valor Online |

" É uma união que também tem êxito administrativo. Ela vem dando certo na cidade de São Paulo, vem dando certo no Estado de São Paulo. Por que não daria no âmbito nacional? " , disse, reconhecendo, no entanto, que nesse momento os pemedebistas têm uma ótima relação com o governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Kassab, que teve como principal fiador de sua vitória o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), acha cedo para se deflagrar a sucessão presidencial. Para ele, é hora de os prefeitos eleitos administrarem suas cidades. Não descarta que setores da sociedade e da economia comecem a realizar seminários e painéis para discutir o futuro do país. Mas considera precipitado o lançamento ou o debate em torno de nomes nesse momento.

O demista adiantou que não pretende deixar a prefeitura daqui a dois anos para concorrer ao governo de São Paulo. " Essa foi a primeira eleição majoritária da qual eu participei e concluirei os quatro anos de meu mandato " , prometeu ele.

Kassab lembra que, quando José Serra foi eleito prefeito de São Paulo em 2004, " havia um clamor das ruas " para que ele deixasse a prefeitura e concorresse ao governo estadual ou à Presidência da República em 2006. " Agora não, o clamor é para que eu permaneça e conclua meu mandato " , disse.

Kassab afirmou não se sentir constrangido de participar de uma audiência no Planalto depois da intensa campanha feita por Lula em favor da candidata do PT à Prefeitura de São Paulo. " Eu quero deixar bem clara a ótima relação que o presidente Lula sempre manteve com a cidade e com o Estado de São Paulo " , elogiou o prefeito. No dia seguinte à vitória, Kassab ligou para Lula para cumprimentá-lo pelo aniversário e pediu uma audiência com o presidente. " Quando nos encontramos no Salão do Automóvel de São Paulo, ele veio me dizer que a audiência estava agendada para essa semana " .

No encontro, Kassab pediu investimentos do governo federal nas obras do metrô de São Paulo. " Já houve financiamentos do governo federal para o metrô, mas investimentos, com recursos do Tesouro Nacional, nunca " , acrescentou. Kassab aposta na preocupação que, segundo ele, é comum tanto na União quanto nas administrações estadual e municipal: a necessidade da expansão da malha metroviária de São Paulo.

O prefeito de São Paulo também discutiu com o presidente parcerias nas áreas de educação, saúde e os projetos em busca de uma nova área para a construção de um terceiro aeroporto no Estado. Sobre o aumento no limite de endividamento da capital paulista, Kassab explicou que o tema não foi abordado por ser um assunto da alçada do Senado Federal. " A Frente Nacional dos Prefeitos, que envolve os prefeitos das capitais, já vem negociando isso com o Senado. Mas algumas cidades, especialmente as maiores, precisam de uma revisão desses parâmetros " , defendeu.

(Paulo de Tarso Lyra | Valor Econômico)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG