Brasília, 08 - Em reunião na tarde de hoje com o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu (DEM-TO), pediu que o governo continue a discutir a proposta de reformulação da política agrícola. Na prática, o objetivo da nova proposta é levar o produtor rural para a "formalidade" e, com isso, ampliar a oferta de crédito para o setor.

Brasília, 08 - Em reunião na tarde de hoje com o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu (DEM-TO), pediu que o governo continue a discutir a proposta de reformulação da política agrícola. Na prática, o objetivo da nova proposta é levar o produtor rural para a "formalidade" e, com isso, ampliar a oferta de crédito para o setor. Após o encontro, a presidente da CNA contou que pediu ao ministro "muita atenção" nas discussões em torno da questão ambiental. "Os desejos de ambientalistas e de produtores devem ser deixados de lado", afirmou ela, lembrando que "a ciência" precisa ser a base das discussões. Outro tema tratado na reunião foi a revisão dos índices de produtividade das lavouras para fins de reforma agrária. "Somos contra a revisão, tanto para cima quanto para baixo", comentou ela, lembrando que o produtor precisa ter direito de decidir se vai ou não plantar e o que cultivar, dependendo das condições de mercado. O ministro, contou a senadora, disse que a discussão sobre a revisão é "equivocada". Sobre a escolha do nome do novo presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a presidente da CNA disse que não há definição. No encontro, a CNA pediu atenção do governo para as políticas de apoio à comercialização de milho. Só em Mato Grosso, os estoques somam 3 milhões de toneladas, volume que precisa ser escoado para outras regiões ou exportado para dar lugar à safrinha deste ano.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.