BRASÍLIA - A atuação da Força Nacional de Segurança no Rio de Janeiro durante as eleições não depende exclusivamente de pedido do governo do estado. A Justiça Eleitoral também pode requisitar a presença da Força no estado.

O esclarecimento foi feito hoje pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, logo após participar do encontro com gestores estaduais do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci).

Segundo Tarso, a situação de insegurança no Rio já atinge a esfera político-eleitoral, o que requer uma atuação rápida.

O combate ao crime organizado em certos lugares onde há ausência do Estado é questão política chave, porque quando o crime se encontra com a política a situação fica mais complexa e mais difícil de resolver.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.