Buenos Aires, 20 nov (EFE).- A Justiça do trabalho argentina condenou uma empresa a pagar uma indenização de 225 mil pesos (US$ 58.

900) a um funcionário que havia sido demitido por jogar videogame no horário de serviço, informam hoje pessoas envolvidas no processo.

A concessionária de automóveis alegava que o vendedor tinha sido visto várias vezes jogando em horário de trabalho, mas o tribunal considerou que a atitude do empregado não era grave o suficiente para justificar a demissão.

Segundo a decisão, o fato de o funcionário brincar no horário de trabalho demandaria uma repreensão, mas não a demissão. O tribunal também levou em conta que não houve reclamações de clientes e que, quando o vendedor jogava videogame, não havia pessoas para serem atendidas na loja. EFE alm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.