Tamanho do texto

Os juros futuros declinaram, ontem, em meio a expectativas de uma forte queda da produção industrial brasileira em dezembro, por causa do impacto da crise de crédito internacional. Os números de atividade que o IBGE divulga hoje devem balizar as apostas dos economistas para a próxima reunião do Copom, nos dias 10 e 11 de março, e a política monetária ao longo do ano.

A taxa de janeiro de 2010 cedeu a 11,06%; e a de janeiro de 2012 para 11,63%. A Bovespa chegou a pisar rapidamente no azul, acompanhando a discreta melhora das bolsas norte-americanas. Mas a tentativa de recuperação durou pouco e o índice paulista caiu, pela terceira sessão consecutiva, 1,61%, aos 38.666,44 pontos. Em Wall Street, o índice Dow Jones recuou 0,80% e o Nasdaq subiu 1,22%. Contudo, a perspectiva segue sombria por causa dos resultados corporativos negativos, novas demissões, além de fracos indicadores de atividade.

A espera de aprovação do pacote de estímulo à economia pelo Senado americano também impõe cautela. No câmbio, o dólar subiu 0,43%, para R$ 2,325 no balcão, em meio ao fluxo negativo e o primeiro déficit (de US$ 518 milhões ) da balança comercial em janeiro desde março de 2001.