Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Juros futuros abrem em alta com receio da inflação

Sem que tenha surgido nenhum indicador de inflação novo, e mesmo com o ambiente externo mais tranqüilo esta manhã, o mercado futuro de juros iniciou o pregão de hoje em forte alta. Contrariando a expectativa de profissionais, que esperavam que os investidores poderiam aproveitar a trégua em Wall Street para aplicar nas altas taxas dos contratos de depósitos interfinanceiros (DIs), o mercado iniciou o pregão pressionado, e algumas taxas esbarraram em níveis inéditos.

Agência Estado |

Foi o caso do DI com vencimento em janeiro de 2010, que chegou à máxima de 15,32% ao ano logo cedo. O DI com vencimento em janeiro de 2009, que reflete a expectativa do mercado para o avanço da Selic até o final do ano, atingiu a máxima de 13,42% ao ano. Por volta das 10h20 (de Brasília), estes contratos projetavam taxas de 15,30% ao ano e 13,40% ao ano, respectivamente.

Esses avanços mostram que o mercado está ampliando a aposta na aceleração do ritmo de aperto monetário por parte do Banco Central. Segundo operadores, há uma consolidação na aposta do mercado de que o BC vai ter de mudar sua estratégia na condução da política monetária e que, ao manter a alta de 0,5 ponto na taxa básica de juros, a Selic, na reunião de junho, a autoridade monetária realmente ficou "atrás da curva".

"O mercado não está confiante de que atual condução da política monetária será capaz de combater a inflação, que está cada vez mais resistente e espalhada", diz um operador. Para analistas, novas surpresas em relação à inflação estão por vir.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG