F - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Juros dos DIs continuam em alta, batendo limites na BM F

SÃO PAULO - As taxas dos contratos de Depósitos Interbancários (DIs) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F) continuam se ajustando para cima nesta jornada. O clima de tensão nos mercado internacionais persiste, alimentado por dados de ruins da economia real de países desenvolvidos.

Valor Online |

Com isso o nível de aversão a risco dos estrangeiros continua elevado, justificando o avanço das taxas no segmento.

Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento para janeiro de 2010 saltava 0,65 ponto percentual, para 16,65%. Janeiro 2011 tinha valorização de 0,70 ponto, a 17,10%. E janeiro 2012 apontava 17,65%, valorização de 0,60 ponto, mas essa taxa já bateu no limite de alta estabelecido pela BM & F para o dia, a 18,35% ao ano.

Na ponta curta, novembro de 2008 registrava aumento de 0,05 ponto percentual, a 13,90%. O vencimento de 2008 marcava 14,07%, elevação também de 0,05 ponto. O DI para janeiro de 2009 era negociado a 14,39%, acréscimo de 0,19 ponto percentual.

O nível de incerteza no quadro internacional continua muito forte e, embora esteja claro que as economias desenvolvidas podem enfrentar recessão, indicadores confirmando essa análise acabam reforçando o movimento defensivo dos investidores. Aumenta a saída de posições de risco em países emergentes e o vôo para ativos menos arriscados, como continuam sendo considerados os títulos da dívida americana.

Hoje o mercado repercute mal a queda de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido. O mercado já esperava que o país registrasse a primeira baixa do PIB em 16 anos, mas contava com uma variação negativa mais modesta, de 0,2% no período.

Para Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da Gradual Corretora, o movimento dos DIs nesta jornada é bem parecido com o de ontem e pelas mesmas razões: o mundo continua demonstrando um grande pessimismo e segue a zeragem de posições em investimentos arriscados. "E não é só estrangeiro, têm investidores locais desarmando posições também", diz, lembrando que nos últimos dias muitos as perdas foram grandes pra muita gente que opera no mercado futuro.

(Bianca Ribeiro | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG