A taxa média de juros bancários para o cheque especial, crédito pré-aprovado que os bancos colocam à disposição dos clientes, subiu para 9,02% ao mês em setembro. A alta foi de 0,05 ponto porcentual em comparação com agosto, quando era de 8,97% ao mês.

Acordo Ortográfico

De acordo com a pesquisa mensal de taxa de juros para pessoa física da Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP), esse comportamento de alta é registrado desde janeiro e, até setembro, o aumento corresponde a 0,81 ponto porcentual.

Segundo o levantamento, a menor taxa de cheque especial é da Caixa Econômica Federal (7,98% ao mês), enquanto a mais alta é a do Safra (12,30% ao mês). As altas na taxa em setembro, na comparação com o mês anterior, foram verificadas na Nossa Caixa, Banco do Brasil e HSBC. Os outros sete bancos pesquisados mantiveram suas taxas para a modalidade.

Já no caso do empréstimo para pessoa física, a taxa média dos bancos ficou em 5,76% ao mês, o que corresponde a um aumento de 0,07 ponto porcentual em relação ao mês anterior (5,69% ao mês). A trajetória de elevação, que teve início em abril, totaliza uma alta de 0,40 ponto porcentual até setembro.

As altas apuradas na comparação com agosto foram decididas pelo Banco do Brasil e Nossa Caixa. As outras oito instituições financeiras mantiveram suas taxas de empréstimo. A menor é a aplicada pela Caixa Econômica Federal (4,49%) e a mais alta é a praticada pelo Itaú (6,64%).

A pesquisa de juros para pessoa física do Procon-SP considerou as taxas do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco no dia 2 de setembro. Para o levantamento, foi estipulado o período contratual de 12 meses. Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais. Para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.

Leia mais sobre juros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.