BRASÍLIA - Assim como o volume de crédito, que está crescendo 1,8%, o juro bancário segue em alta em agosto. O custo médio do cheque especial estava em 165,4% no mês até o último dia 13, de acordo com dados parciais divulgados hoje pelo Banco Central (BC).

A taxa média de juros sobre os empréstimos subia para 40% ao ano, depois de fechar julho em 39,4%, a mais elevada desde janeiro de 2007 (39,9%).

Ainda para os nove primeiros dias úteis deste mês, o custo médio nas operações a pessoas físicas estava em 51,9% anuais. Tinha subido 2,3 pontos percentuais sobre junho e atingido em 51,4% no mês passado, o patamar mais elevado desde janeiro de 2007, quando ficou em 52,3%.

Nos empréstimos a empresas, a taxa aumentava para 26,5% ao ano na preliminar de agosto, depois de ficar em 25,6% em julho, a maior desde os 27,5% de agosto de 2006.

No caso do cheque especial, houve um incremento de 3,6 pontos percentuais em julho, para 162,7% ao ano. Era a taxa mais alta desde a média de 163,9% apurada em agosto de 2003, segundo o BC.

A expansão do crédito continua puxada por operações de leasing para aquisição de veículos por pessoas físicas, que em 12 meses até julho aumentou 141,7%. Também é uma linha de crédito bem usada pelas empresas na compra de veículos, e de máquinas e equipamentos, que teve evolução no mesmo período de 78,4%.

Os números do BC destacam ainda o avanço do crédito habitacional, com variação mensal de 3,1%, e anual de 32,3%. O estoque até julho atingia R$ 54,2 bilhões.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.