Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Juro do cheque especial é o maior desde junho de 2003, diz Procon-SP

SÃO PAULO - As taxas de juros cobradas das pessoas físicas pelos bancos em dezembro mostraram alta no empréstimo pessoal e no cheque especial, segundo a Fundação Procon-SP. O custo médio do cheque especial ficou em 9,33% ao mês, acima dos 9,24% registrados em novembro.

Valor Online |

Já a taxa média do empréstimo pessoal avançou 0,10 ponto percentual, de 6,15% em novembro para 6,25% neste mês.

"No caso do cheque especial, já é o segundo mês consecutivo que a taxa média ultrapassa os 9%. Neste mês, registrou a maior taxa média desde junho de 2003 (9,43%)", destacou a entidade em nota.

De acordo com o Procon-SP, o juro anual do cheque especial é de 191,75% e o do empréstimo pessoal equivale a 107,06%.

A pesquisa foi realizada no dia 2 de dezembro com Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco.

Pelos dados do Procon-SP, três desses bancos elevaram a taxa do cheque especial de novembro para dezembro. No Unibanco, a taxa do cheque especial foi de 8,59% ao mês para 8,99%. No HSBC, saiu de 9,25% para 9,65% ao mês. O Santander alterou a taxa de 9,70% para 9,85%.

Duas instituições ampliaram a taxa do empréstimo pessoal: Santander (de 6% para 6,69% mensais) e Unibanco (de 6,59% para 6,99% ao mês).

Em novembro, cinco bancos tinham elevado a taxa do empréstimo pessoal e sete, a do cheque especial.

Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não-preferenciais. Para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias e para o empréstimo pessoal, o prazo de 12 meses.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG