O juiz Luiz Roberto Ayoub, coordenador do processo de recuperação judicial da Varig antiga (Flex), proibiu na semana passada a venda da Varig México. A filial pertencia à Varig antiga, mas foi cedida em maio de 2006 para a VarigLog pelo ex-presidente da companhia, Marcelo Bottini.

A decisão de Ayoub foi baseada numa petição da Fundação Ruben Berta (FRB) para impedir negociações da VarigLog que estavam em curso para vender a Varig México.

"É uma decisão para que a VarigLog se abstenha de vender a Varig do México. Segundo a peticionante, é um ativo das empresas em recuperação", afirma o juiz Ayoub, autor da decisão que afastou a FRB do controle da Varig em dezembro de 2005. "De todos os absurdos, este foi o maior: ceder um ativo que vale US$ 25 milhões", afirma o presidente do conselho de curadores da fundação, Cesar Curi.

No final de julho, o ex-sócio da VarigLog Marco Antonio Audi já havia obtido na Justiça de São Paulo uma decisão para responsabilizar o fundo americano Matlin Patterson, atual controlador da VarigLog, por uma eventual venda de ativos. Audi acusava o Matlin de "dilapidar" a VarigLog, já que seu ex-sócio estaria negociando a Varig México e outros bens. O fundo informou que não se pronuncia sobre o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.