NOVA YORK - O investidor Bernard Madoff declarou-se, nesta quinta-feira, culpado de dirigir um esquema de pirâmide financeira por meio do qual seus clientes perderam bilhões de dólares. O juiz federal americano Denny Chin acatou a declaração do réu e determinou sua prisão imediata. O magistrado revogou o direito à fiança e decidiu que Madoff permanecerá detido até o anúncio da sentença, marcado para 16 de junho.

A admissão de culpa ocorre apenas três meses depois de Madoff ter sido preso sob suspeita de fraudes que abalaram o mundo financeiro e a expectativa é de que ele passe o restante de sua vida atrás das grades. O Tribunal Federal de Manhattan estava lotado quando Madoff declarou-se culpado de 11 acusações de crimes financeiros, fraudes e lavagem de dinheiro.

"Durante muitos anos, até minha detenção em 11 de dezembro de 2008, eu operei um esquema de pirâmide financeira por meio do braço de aconselhamento de meus negócios, a Bernard L. Madoff Investment Securities LCC", declarou o ex-presidente do mercado eletrônico Nasdaq.

Madoff, de 70 anos, disse ainda que nunca investia os recursos de seus clientes conforme o prometido. Ao invés disso, ele pagava os investidores que buscavam resgates numa conta mantida no Chase Manhattan Bank em Nova York. Ele alegou que se sentia pressionado a atender às expectativas dos clientes de que os investimentos teriam rendimento acima da média do mercado e disse acreditar que a pirâmide financeira duraria pouco tempo. "Mas não durou", admitiu.

Ao declarar-se culpado dos 11 crimes pelos quais é acusado, Madoff fica sujeito a uma sentença de até 150 anos de prisão. Os promotores também informaram que estão tentando recuperar os US$ 177 bilhões que Madoff teria roubado de seus clientes.

Leia também:

  • Madoff usava "aura de exclusividade" para operar bilhões
    • Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.