La Paz, 10 jul (EFE).- Os jornalistas do departamento boliviano de Tarija (sul) pararam hoje em protesto contra o atentado sofrido em junho pela Unitel, um canal de televisão crítico ao Governo, e para pedir respeito à liberdade de imprensa.

Os jornalistas dos três jornais que circulam na cidade, das rádios e dos canais de televisão apoiaram a paralisação de forma contundente "como não se tinha visto nos últimos tempos", disse à Agência Efe uma dirigente dos repórteres de Tarija.

A fonte disse que a medida é mais contundente nos municípios de Villamontes, Yacuiba e Bermejo, onde inclusive as rádios e os canais de televisão suspenderam as transmissões por 24 horas.

A paralisação afeta três jornais, mais de dez canais de televisão e cerca de 30 rádios.

Os jornalistas de Tarija exigem que o Estado dê "garantias para o trabalho de imprensa" e consideram que "todos estes fatos", em alusão ao atentado contra a "Unitel", vão contra a liberdade de expressão e o direito à informação da população.

Em 22 de junho, o canal de televisão, crítico ao presidente Evo Morales, sofreu um atentado com dinamite em Yacuiba e como principal suspeito foi detido um militar que supostamente fazia parte da segurança do chefe de Estado. EFE rs/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.