Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

John Major critica medidas anticrise do governo britânico

O ex-primeiro-ministro britânico John Major criticou abertamente neste domingo as medidas anticrise adotadas pelo atual chefe de Governo, o trabalhista Gordon Brown.

AFP |

Em entrevista à rádio e televisão pública britânica BBC, Major afirmou que "a recessão britânica é integralmente o resultado da política nacional" e não da crise dos créditos hipotecários de risco americanos ("subprime").

"Se um ladrão rouba em sua casa, você não pede a ele que volte para instalar as fechaduras", disse Major, em uma referência ao fato de Brown ter sido ministro das Finanças da Grã-Bretanha durante 10 anos, de 1997 a 2007.

Opositores de Brown citam a responsabilidade do premier na crise, afirmando que ele poderia ter feito mais para prevenir ou reduzir o que se aproximava quando estava à frente da pasta das Finanças.

Para combater a recessão, o governo de Brown colocou em prática um plano de 20 bilhões de libras (30 bilhões de dólares) para estimular a economia, financiado com o aumento do empréstimo e do imposto aos mais ricos, a partir de 2011.

"A idéia de que Gordon Brown, que foi ministro das Finanças durante 10 anos, primeiro-ministro há um ano e presidiu este descarrilamento, seja a pessoa que fará bem o que já fez mal me surpreende, por ser no mínimo uma ironia", declarou Major.

"É muito fácil dar a impressão de que se está agindo, mas as ações realizadas são corretas?", questiona Major.

"Não acredito que a maioria das iniciativas do governo sejam acertadas", acrescentou, antes de admitir, no entanto, que Brown fez bem em recapitalizar vários bancos em dificuldades.

Major disse temer uma "avalanche" de demissões nos primeiros quatro meses de 2009.

No terceiro trimestre de 2008, a economia britânica registrou queda de 0,5%, na primeira baixa trimestral desde 1992.

psr/fp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG