BRASÍLIA - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, confirmou hoje (4) que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) tem equipamentos capazes de fazer interceptações telefônicas, varreduras de rede e audição ambiental. A compra foi feita pelo Exército.

Após reunião com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, para discutir envio de tropas federais para garantir as eleições nos estados, Jobim disse que informou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que a Abin utilizou a Comissão de Compras do Exército, em Washington, para adquirir equipamentos que podem realizar grampos telefônicos.

Essa comissão é uma ponte que o Exército, na medida de suas necessidade, utiliza [para compras]. Essa comissão também é utilizada por outros órgãos do governo. No caso das aquisições da Abin, elas foram feitas pelo GSI [Gabinete de Segurança Institucional, a quem a Abin é subordinada], disse Jobim.

O ministro afirmou que além do que disse hoje à imprensa, não poderá ajudar mais a Comissão Parlamentar de Inquérito da Escutas Telefônicas Clandestinas da Câmara dos Deputados.

Não conheço nada sobre o assunto de grampo. Minha participação em relação a este problema foi entregar ao presidente a relação dos aparelhos adquiridos pela Abin, afirmou.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.