SÃO PAULO - Foi lançada ontem em Portugal uma ambiciosa empresa de táxi aéreo cuja meta é criar uma frota de 105 aviões e operar em mil aeroportos na Europa a partir do meio do ano que vem. De início, a companhia, chamada Jet Republic, anunciou ter adquirido 25 jatos executivos Learjet 60XR, da canadense Bombardier, com opções para mais 85 aeronaves desse modelo.

O valor da compra, feita em junho, é de cerca de US$ 1,5 bilhão, a preços de tabela.

Os 25 primeiros aviões, segundo a empresa, serão entregues ao longo dos próximos 22 meses e, os restantes, serão entregues seguindo o ritmo de um a cada três semanas. A Jet Republic está sendo financiada pelo banco austríaco Euram, além de um consórcio de clientes já cadastrados.

"Apesar do atual clima econômico, o mercado de jatos privados está passando por um forte crescimento", afirmou o executivo-chefe da nova empresa, Jonathan Breeze. "Isso, em conjunto com o fato de que acreditamos que há muito espaço para melhorar o nível de serviço oferecido no setor de jatos privados, significa que há uma oportunidade muito forte e real para que nós tomemos uma porção significativa do mercado", acrescentou o executivo.

Segundo a empresa, em todos os seus vôos haverá comissários de bordo e os aviões serão equipados com tecnologia para conexão sem fio de dados e voz.

O modelo de negócios da Jet Republic se dividirá em duas vertentes: o de propriedade compartilhada e de pagamento por horas de utilização. No primeiro programa, os clientes se tornam donos de uma fração dos aviões operados pela empresa, pagando apenas pelas horas que realmente utilizarem - com um mínimo de 50 horas por ano. Já no segundo programa, o cliente adquire horas de vôo, sem maiores compromissos com a empresa. Nesse caso, são obrigados a adquirir um mínimo de 25 horas, que podem ser utilizadas de acordo com sua demanda.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.