O presidente do Banco do Japão (BoJ), Masaaki Shirakawa, disse hoje que a instituição tomará novas medidas para estabilizar os mercados financeiros, o que provavelmente implicará mais injeções de liquidez e outras medidas para a operação do sistema. Um corte na taxa básica de juros parece improvável por agora, afirmou Shirakawa.

Segundo ele, as taxas de juros no Japão já são muito baixas.

Às vésperas do encontro dos ministros de Finanças e dos presidentes dos bancos centrais dos países do G-7 - grupo dos sete países mais industrializados do mundo -, em Washington, ele também afirmou que, de uma maneira geral, é favorável a injeções de dinheiro público em bancos privados, se isso apoiar a economia, e que observa o impacto que a crise bancária nos Estados Unidos e nos países europeus poderá ter na economia japonesa.

Shirakawa também afirmou que, embora a delegação japonesa que participará do encontro do G-7 deva explicar como foi a experiência do país na década de 1990, quando o Japão enfrentou o colapso da bolha imobiliária, ele disse que isso não necessariamente irá ajudar o sistema financeiro a curar suas doenças desta vez. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.