Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Japão reconquista identidade gamer

Japão reconquista identidade gamer Por Jocelyn Auricchio São Paulo, 14 (AE) - O Japão está redescobrindo a sua essência digital. Durante a Tokyo Game Show, a maior feira de games do planeta, a indústria japonesa do entretenimento mostrou sua força e sinalizou como será o próximo ano.

Agência Estado |

A era das exclusividades realmente acabou. Todas as grandes empresas mostraram jogos multiplataforma, que funcionam tanto para PlayStation 3 quanto Xbox 360. Exclusivos, só mesmo os jogos bancados pela Sony e Microsoft.

A Nintendo não participou oficialmente da feira, mas aproveitou o burburinho para mostrar seu novo portátil (veja abaixo). Mas nem por isso o Wii e o Nintendo DS ficaram de fora da TGS (Tokyo Game Show). Vários games foram mostrados para o Wii, inclusive a esperada continuação do polêmico No More Heroes.

Os videogames portáteis foram o principal foco da feira. Além de ganhar novas habilidades, os consoles de bolso mostraram força com uma verdadeira avalanche de lançamentos. O PSP, que ganhou uma versão atualizada, com mais recursos e tela melhor, recebeu vários games exclusivos, como Kingdom Hearts e a continuação de Patapon.

O DS ganhou games inusitados, como guias interativos de culinária,vinhos e até estética.

Séries famosas ganharam novos capítulos, para alegria dos fãs. Praticamente todas as empresas mostraram releituras de suas principais franquias.

Tekken, a série de jogos de luta que ajudou a colocar o primeiro PlayStation no mapa, voltou mais feroz ainda, com Tekken 6. A marca registrada da série, os combates bonitos sem magias, baseados em longas combinações de golpes, continua intacta, para alívio dos puristas.

Street Fighter foi outro game de luta das antigas que ganhou destaque, com gráficos renovados e todo o elenco de personagens que fez sucesso no passado.

A série Resident Evil, que até virou uma trilogia de filmes no Ocidente, chega com ares de filme interativo, tamanho o realismo dos gráficos.

Mas a TGS não foi só nostalgia. Muitos games novos foram apresentados, em quantidade e qualidade que não se viam desde que o Japão dominava o mundo dos games, na década de 1990. Sem medo de arriscar, a indústria japonesa decidiu investir na inventividade para sobreviver. Em vez de tentar concorrer com as multimilionárias produções ocidentais, os japoneses decidiram trilhar o mesmo caminho apontado há alguns anos pela Nintendo: diversão acessível e descomplicada.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG