O Japão, que preside o G8, afirmou nesta segunda-feira que as economias em desenvolvimento devem participar na reunião de cúpula para debater a reforma do sistema financeiro mundial atualmente em crise.

"Este não é um problema para o G8", afirmou o secretário de gabinete, Takeo Kawamura, que também é porta-voz do governo.

Kawamura declarou que os países do G8 estão debatendo se o encontro deve incluir apenas as potências emergentes como Brasil, China e Índia - como tem acontecido nas últimas reuniões de cúpula anuais do grupo - ou se deve convidar outros países em desenvolvimento.

No sábado, o presidente americano, George W. Bush, seu colega francês, Nicolas Sarkozy, e o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, concordaram com a realização de uma primeira reunião nos Estados Unidos, pouco depois das eleições presidenciais americanas, em 4 de novembro.

O primeiro-ministro japonês, Taro Aso, que prometeu desempenhar um papel de líder como atual presidente do G8, afirmou que a reunião será sua prioridade, à frente dos assuntos internos nipônicos.

si-oh/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.