Tamanho do texto

Líderes dos dois países concordaram em estabelecer um mecanismo entre suas autoridades de defesa que evite atritos marítimos

O Japão e a China entraram em acordo hoje para impulsionar um tratado sobre as jazidas marítimas de gás, um dos aspectos mais delicados das relações bilaterais cada vez mais dominadas por sua crescente interdependência econômica.

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, e seu par japonês, Yukio Hatoyama, se reuniram durante duas horas em Tóquio para tratar dos principais problemas em suas relações bilaterais, dominados pelas disputas territoriais e econômicas no Mar da China Oriental, e pela crescente tensão na península coreana.

A viagem de Wen sucede a do presidente da China, Hu Jintao, em maio de 2008, e trata de simbolizar a normalidade nas relações nem sempre fáceis entre estas duas grandes potências asiáticas, segunda e terceira economia mundial.

Os dois líderes concordaram hoje com o estabelecimento de uma linha de comunicação direta sobre assuntos diplomáticos, além de um mecanismo entre suas autoridades de defesa que evite atritos marítimos. Esse tratado deveria pôr fim a anos de discussões e tensões diplomáticas sobre como explorar os ricos, recursos gasísticos nessas águas e ampliar o acordo adotado em junho de 2008 pelo que os dois países se comprometeram a explorar conjuntamente a área. lmr/pb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.