Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Japão anuncia o fim do período mais longo de expansão econômica desde 1945

O governo japonês anunciou nesta quinta-feira o fim do período mais longo de expansão econômica que o país conheceu desde à II Guerra Mundial, considerando ainda a possibilidade de uma recessão.

AFP |

Pela primeira vez desde fevereiro de 2002, o governo evitou mencionar a palavra "retomada" em seu relatório anual sobre o estado da segunda economia mundial, considerando ao contrário que "a economia enfraqueceu recentemente".

Esta postura constitui o reconhecimento implícito, pelo governo, que o mais longo período de expansão que o Japão conheceu desde o fim da II Guerra Mundial terminou após 78 meses de crescimento econômico.

"Em outros termos, é possível que a economia já esteja em recessão", explicou um responsável do governo sob anonimato citado pelo DowJones Newswires.

"A economia japonesa está entrando num período em que não podemos obrigatoriamente continuar otimistas", declarou o ministro da Política econômica e orçamentária, Kaoru Yosano, em entrevista à imprensa.

O Japão vem enfrentando um desaquecimento da demanda nos EUA, principal cliente de suas exportações. O arquipélago, totalmente desprovido de recursos naturais, está sendo atingido em cheio pela disparada atual dos preços de petróleo e de outras matérias-primas.

Em junho, as exportações japonesas recuaram pela primeira vez desde novembro de 2003 (-1,7% em um ano). A produção industrial e o investimento das empresas também estão em desaceleração.

Esta conjunção de fatores negativos leva inúmeros economistas a pensar que a segunda economia mundial está caminhando para uma recessão temporária.

Segundo a definição mais admitida em geral, a recessão é caracterizada por pelo menos dois trimestres consecutivos de recuo do produto interno bruto (PIB). O PIB japonês ainda aumentou 1% no primeiro trimestre de 2008 em relação ao ttimestre anterior, mas o do segundo trimestre, que será publicado em 13 de agosto, deve fechar em baixa, segundo previsões dos analistas.

bur-roc/lm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG