Tamanho do texto

Roma, 16 - A Itália descobriu dois contêineres de leite e um de iogurte com melamina, o produto químico industrializado que provocou a contaminação de milhares de bebês na China, informou hoje o Ministério da Saúde da Itália. Segundo as autoridades do país europeu, o fato de existirem alguns produtos com melamina vindos da China não representa um risco letal à saúde pública.

Os produtos, importados ilegalmente, são vendidos no varejo especializado em atender imigrantes chineses.

O Ministério da Saúde informou que a inspeção em centenas de empresas importadoras e lojas que vendem produtos chineses resultou em três testes positivos, de um total de 48 amostras analisadas. O Ministério da Saúde chamou a contaminação como "extremamente contida", mas testes continuam a ser feitos no país, em seguida às primeiras análises feitas em Nápoles e Bari, no sul da Itália.

O leite em pó e outros produtos lácteos chineses foram responsáveis pelas mortes de quatro crianças pequenas e a intoxicação de milhares na China continental. Pelo menos 54 mil crianças foram internadas. Também hoje, as autoridades italianas confiscaram produtos chineses vendidos em lojas e em um shopping popular em Nápoles. As autoridades apreenderam uma tonelada de leite em pó que suspeitam que contenha melamina.

Mesmo que o leite chinês não contenha a substância, sua comercialização é proibida no país, informou o funcionário da fiscalização do Ministério das Políticas Agrícolas, Alimentares e Florestais da Itália, Vincenzo Stabile. Segundo ele, foi também apreendida carne de galinha congelada vinda da China. A importação do produto foi banida por medo da gripe aviária. Os funcionários multaram os varejistas chineses em € 100 mil e sete chineses foram detidos, sob acusações de fraude e falsificação.