Berlim, 10 fev (EFE).- O Governo da Islândia reiterou hoje sua intenção de pagar todas as dívidas externas pendentes de pagamento após a prática quebra dos três principais institutos financeiros do país, que foram nacionalizados em novembro do ano passado para evitar sua falência oficial.

Assim afirmou o gabinete ministerial da Islândia, em comunicado emitido após uma reunião, com o qual responde a declarações do presidente do país, Olafur Ragnar Grimsson, que se pronunciou contra esses pagamentos.

O Governo islandês ressaltou que mantém os compromissos adquiridos no ano passado com a União Europeia, assim como com a Alemanha, Reino Unido e Holanda, países com um grande número de investidores na Islândia.

Antes, o banco islandês Kaupthing, um dos três institutos nacionalizados em novembro por ameaça de quebra, tinha comunicado que tem intenção de indenizar seus 31 mil clientes alemães, apesar de a Islândia estar praticamente em quebra.

"Assumimos nossos compromissos", disse hoje uma porta-voz bancária em declarações de Reykjavik à agência alemã "DPA".

O presidente da Islândia tinha se mostrado contra indenizar os investidores alemães, em declarações ao jornal econômico "Financial Times Deutschland" em sua edição de hoje. EFE jcb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.