Tamanho do texto

O Banco Central da Islândia cortou, pela primeira vez desde 2003, a taxa básica de juros do país de 15,5% para 12% anuais e afirmou que o país deve passar por uma contração econômica acentuada. O banco central anunciou também que chegou a um acordo para realizar leilões diários no mercado de câmbio, que serão indicativos da taxa de câmbio da coroa islandesa em relação às moedas estrangeiras.

"A economia islandesa passou por uma turbulência sem precedentes nas últimas semanas", afirmou o banco central em comunicado. "O impacto do colapso do sistema bancário será extremamente pesado e a contração econômica que o acompanha bastante acentuada."

A Islândia entrou em crise na semana passada, com receios de que as autoridades não conseguiriam dar garantias para as dívidas do setor bancário do país. A turbulência levou a Autoridade de Supervisão Financeira (FSA, em inglês) a estatizar os três maiores bancos islandeses.

Posteriormente, dois deles - Glitnir e Landsbanki - foram reestruturados em duas novas instituições financeiras, com balanços menores, sem as dívidas e os ativos estrangeiros dos bancos originais. A reestruturação do Glitnir foi anunciada hoje.

Outro efeito da crise foi a desvalorização acentuada da coroa islandesa. Na semana passada, o banco central atrelou a coroa a uma cesta de moedas, mas abandonou a iniciativa após 24 horas, porque não conseguiu dar sustentação ao novo regime de câmbio. Desde então, as negociações da coroa islandesa cessaram em meio à baixa confiança na moeda.

As autoridades islandesas se reuniram com autoridades russas e do Fundo Monetário Internacional (FMI) recentemente e levantaram 400 milhões de euros por meio de uma linha de swaps com os bancos centrais da Dinamarca e da Noruega para retomar a confiança da moeda local. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.