O investidor Lap Chan, representante do fundo de investimentos americano Matlin Patterson, está tentando emplacar o nome de sua irmã, Chan Lup Wai Ohira, nascida na China e naturalizada brasileira, como nova dona da companhia aérea de transporte de cargas VarigLog. Seria uma maneira de adequar a empresa à lei que proíbe estrangeiros de controlar empresas aéreas.

Mas não é a primeira tentativa. No final do ano passado, a Justiça barrou a venda da VarigLog para a Voloex, empresa que pertencia a Chan Lup.

Convencer as autoridades que a VarigLog tem um controlador brasileiro é essencial para que o fundo não perca o controle da empresa, que tem mais de US$ 80 milhões em um banco na Suíça. O advogado Roberto Teixeira, que defende a VarigLog, tentou por duas vezes convencer a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que a lei permite o controle de companhias aéreas por estrangeiros. Não conseguiu. No domingo, às vésperas do prazo final dado pela Anac, Teixeira e Lap apresentaram Chan Lup como nova controladora da empresa.

A Anac está analisando se Chan Lup seria controladora de fato ou mera representante do fundo, como dizem os advogados dos antigos sócios brasileiros da VarigLog, que disputam a empresa na Justiça. Na tentativa anterior de apresentar o nome de Chan Lup, a 40ª Vara Cível de São Paulo rejeitou a indicação da Voloex e os acusou de "litigância de má fé". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

Leia mais sobre a  VarigLog

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.