Kuala Lumpur, 2 nov (EFE).- O Governo do Irã quer que se estabeleça um comitê para revisar a minuta do plano proposto pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para tirar do país asiático grande parte de seu urânio enriquecido e que serviria para diminuir a tensão entre Teerã e a comunidade internacional.

"Há dois dias fizemos chegar nossos pontos de vista e observações à AIEA por isso que é muito possível que se estabeleça uma comissão técnica para revisar e reconsiderar todos estes assuntos", disse o ministro de Assuntos Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, em Kuala Lumpur.

Mottaki se encontra na capital da Malásia para participar da reunião de ministros de Assuntos Exteriores do chamado D8, o Grupo de Países Islâmicos em Desenvolvimento.

O plano dá a opção de o Irã enviar à Rússia o urânio que enriqueceu a baixo nível, a 3,5% em sua planta de Natanz para que esse país o re-enriqueça até 19,75%, o nível que Teerã precisa para seu reator de pesquisa médica, e para o qual tem reservas para um ano mais.

Segundo contempla o citado plano, a França se encarregaria de aglutinar e encapsular o urânio em barras de combustível, antes de devolvê-lo a Teerã.

Mottaki explicou que as opções de seu país para conseguir o combustível destinado a seu reator, são comprá-lo em outras nações, enriquecer o urânio no Irã, ou aceitar o plano proposto pela AIEA.

EFE mal/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.