SÃO PAULO - O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) teve deflação de 0,04% na terceira medição de setembro, invertendo a direção tomada no levantamento anterior, de avanço de 0,04%, divulgou a Fundação Getulio Vargas (FGV) na manhã desta terça-feira.

Acordo Ortográfico

A FGV observou que o resultado foi o menor desde a segunda semana de julho de 2006, quando foi registrado recuo de 0,13%.

Dos grupos analisados, Alimentação influenciou especialmente na queda da taxa do IPC-S - depois de declinar 0,75% na segunda leitura do mês, o ramo verificou agora retração de 0,91%. Contribuíram para esta redução a moderação na alta dos preços das frutas e das aves e ovos bem como a diminuição mais marcada dos preços dos laticínios.

A FGV mostrou ainda que Habitação subiu 0,28% na terceira pesquisa de setembro, seguindo elevação de 0,35% no levantamento antecedente. Tiveram o mesmo comportamento Saúde e cuidados pessoais (0,35% para 0,27%), Educação, leitura e recreação (0,38% para 0,26%) e Despesas diversas (1,28% para 1,21%). Com leve alteração, Transportes saíram de um acréscimo de 0,17% para 0,16% entre uma medição e outra.

Contrastando, Vestuário expandiu-se 0,27%, superando o 0,01% apurado na segunda pesquisa do mês. Teve impacto neste movimento o item Roupas, que deixou para trás declínio de 0,44% e anotou neste estudo avanço de 0,21%.

Leia mais sobre  inflação

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.