Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IPC-S cai em SP com peso menor dos alimentos, avalia FGV

RIO DE JANEIRO Desacelerações e quedas de preços em alimentos com peso na inflação, como arroz e feijão (de 1,96% para 0,42%) e em in natura como frutas (de 7,95% para 4,73%) e hortaliças e legumes (de -2,46% para -3,91%) levaram à taxa menor do IPC-S em São Paulo na segunda quadrissemana de novembro. O índice subiu 0,54% no período, após registrar alta de 0,65% na primeira quadrissemana do mês.

Agência Estado |

Segundo o economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV) André Braz, esse cenário levou ao menor avanço da inflação dos alimentos na cidade (de 1,08% para 0,70%) na passagem da primeira para a segunda quadrissemana do mês.

Entretanto, Braz comentou que, em São Paulo, muitos alimentos cujos preços estão relacionados às movimentações da cotação da moeda norte-americana foram influenciados pelo patamar mais elevado do dólar. É o caso dos derivados das commodities agrícolas, que estão com queda mais fraca de preços, como panificados e biscoitos (de -1,23% para -1,13%) e óleo de soja (de -3,06% para -1,83%).

Na análise do economista, a tendência de desaceleração na taxa do IPC-S em São Paulo não deve continuar. Isso porque os preços dos produtos derivados das commodities agrícolas devem continuar a cair menos, ou até mesmo voltar a subir, pressionando a inflação mensurada pelo índice.

Entretanto, ele comentou que ainda deve demorar um pouco a mudança na trajetória da taxa do índice, que não deve ser visível no próximo resultado do indicador, que será referente à quadrissemana encerrada em 22 de novembro.

"Creio que no final do mês, apenas, poderemos ver algo nesse sentido", afirmou. Braz disse ainda que, entre os produtos que estão contribuindo para a taxa menor do IPC-S, atualmente estão itens in natura, cujos preços são conhecidos por seu comportamento volátil e dependente de mudanças climáticas. Ou seja: os preços de frutas e hortaliças e legumes podem não continuar a subir menos, por muito tempo - o que conduziria à taxas mais elevadas para o IPC-S de São Paulo.

Entre as sete pesquisadas, a cidade de São Paulo é a de maior peso no cálculo do índice total, e maior influência na trajetória do indicador.

Leia tudo sobre: inflação

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG