Prévia da inflação oficial apresentou variação negativa de 0,09% em julho, segundo o IBGE

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) – a prévia da inflação oficial – registrou em junho o menor nível desde junho de 2006. Segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o incide apresentou variação de -0,09% no mês, o menor resultado desde os -0,15% de junho de 2006.

Em junho de 2010, o índice havia ficado em 0,19%. Em julho de 2009 a taxa havia sido de 0,22%. “Com esse resultado, a variação acumulada no ano ficou em 3,26%, maior que a de igual período do ano anterior (2,72%)”, disse o IBGE. No acumulado dos últimos doze meses, o IPCA-15 ficou em 4,74%, abaixo dos 5,06% registrados no período imediatamente anterior.

Alimentos

Segundo o IBGE, o resultado de julho foi fortemente influenciado pelo grupo alimentos, cujo preço recuou 0,80% no mês frente a junho. A queda contribuiu com -0,18 ponto percentual no resultado do IPCA-15. “Os preços dos alimentos recuaram em todas as regiões pesquisadas: de -0,47% (Porto Alegre) a -1,31% (Goiânia). Em junho, a variação do grupo Alimentação e Bebidas foi de -0,42%”, disse o IBGE.

Entre os destaques de queda de preço estão batata-inglesa (-16,48%), tomate (-4,94%), cebola (-13,08%), cenoura (-10,32%), açúcar cristal (-7,47%) e refinado (-5,27%), além do leite pasteurizado (-4,49%). Por outro lado, o item refeição fora registrou alta de 0,95% em julho, contribuindo com 0,04 ponto percentual no índice final.

Já grupo não alimentícios teve alta de 0,12% no mês, abaixo do 0,37% de junho. Houve queda (-0,36%) no grupo Transportes, com recuo em automóveis, tanto novos (-1,16%) quanto usados (-2,22%). O litro do álcool e da gasolina, por sua vez, também caíram: -3,15% e -0,53%, respectivamente. As tarifas dos ônibus urbanos caíram 0,18% no mês, enquanto as tarifas aéreas subiram 9,16%.

“Os artigos de Vestuário (-0,15%) também tiveram queda, com as liquidações do período”, completou o IBGE.

Regiões

Na análise por regiões, as maiores baixas foram verificadas em Belém (-0,40%), Goiânia (-0,26%) e Rio de Janeiro (-0,18%). Das 11 regiões pesquisadas, apenas três tiveram alta no IPCA-15: Brasília (0,17%), Belo Horizonte (0,12%) e Curitiba (0,03%).

Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados entre 15 de junho e 13 de julho. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.