Tamanho do texto

Apesar da queda verificada nos preços dos alimentos no mês, setor acumula alta de 5,84% no ano e segue pressionando inflação

A Inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) registrou alta de 0,63% em maio. A taxa é superior à verificada no mês de abril (0,48%). Os alimentos apresentaram queda de 1,71% para 1,00% em maio, mas apesar da taxa ter sido menor que a de abril, os preços nesse segmento continuam a pressionar o resultado, acumulando alta de 5,84% no ano.

No ano, o IPCA-15 acumulada alta de 3,16%, desempenho superior ao verificado no mesmo período do ano passado (2,10%). Nos últimos doze meses, o índice ficou em 5,26%, também acima da taxa apurada nos doze meses anteriores (5,22%). Em maio de 2009 a taxa havia sido de 0,59 %.

Segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de abril para maio, as maiores contribuições para elevação do indicador vieram dos produtos farmacêuticos (de 0,70 % para 2,14%), e da energia elétrica (de -0,46% para 1,29%).

Entre os índices regionais, a maior alta foi registrada em Fortaleza (1,24%), em virtude dos aumentos ocorridos nos preços da gasolina (10,14%) e também pelo maior resultado dos alimentos (1,61%). Goiânia apresentou o menor índice (0,18%), tendo em vista, principalmente, as fortes quedas verificadas nos preços da gasolina (-5,10%) e do etanol (-8,19%).

Para o cálculo do IPCA-15, o IBGE fez a coleta dos dados de 14 de abril a 13 de maio. O indicador mede a inflação das famílias com renda entre 1 e 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.