Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IPCA-15 sobe 0,49% e supera teto da meta em 12 meses

Por Renato Andrade SÃO PAULO (Reuters) - A inflação no país registrou mais um avanço até meados de novembro e acumulou, nos últimos 12 meses, uma variação superior ao teto da meta definida pelo governo, mostraram dados divulgados nesta quarta-feira.

Reuters |

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,49 por cento em novembro, e acumulou nos últimos 12 meses uma alta de 6,54 por cento.

O IPCA-15 é tido como uma prévia do IPCA, o índice que serve de referência para a política de metas de inflação do governo.

A meta central de inflação perseguida pelo Banco Central este ano é de 4,5 por cento, com margem de variação de 2 pontos percentuais, para cima ou para baixo, o que coloca o teto da meta em 6,50 por cento.

O aumento dos preços em novembro já era esperado por analistas, depois da alta de 0,30 por cento em outubro. Em pesquisa feita pela Reuters na véspera, economistas indicaram que o IPCA-15 deveria subir 0,50 por cento agora em novembro, de acordo com a média e a mediana das 22 projeções feitas pelas instituições consultadas.

Mais uma vez, os alimentos foram responsáveis por boa parte da pressão adicional registrada pelo índice de preços apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"O grupo Alimentação e Bebidas, que passou de 0,05 por cento (de alta), em outubro, para 0,90 por cento em novembro, foi responsável por 0,20 ponto percentual no índice do mês, ou seja, 42 por cento da taxa", explicou o IBGE em comunicado.

Para os produtos não-alimentícios, a variação de novembro foi igual à registrada em outubro: alta de 0,37 por cento.

ACIMA DO TETO

O avanço do IPCA-15 acima do teto da meta, no acumulado em 12 meses, já era esperado por alguns agentes do mercado, como Jankiel Santos, economista-chefe do BES Investimento.

Apesar do sinal negativo, Santos deixou claro que não espera que a inflação em 2008 encerre acima dos 6,50 por cento.

Na média, analistas e empresários apostam que a "inflação oficial" brasileira fechará o ano com alta de 6,39 por cento, de acordo com a pesquisa mais recente do BC, divulgada na segunda-feira.

No ano, o IPCA-15 acumulou um ganho de 5,79 por cento.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do BC realiza última reunião de 2008 nos dias 9 e 10 de dezembro para definir a nova meta da taxa básica de juro do país, a Selic. A expectativa predominante é de que os diretores do BC manterão a taxa no atual patamar de 13,75 por cento ao ano, assim como foi feito na reunião de outubro.

A diferença entre o IPCA-15 e o IPCA --o índice oficial para a meta de inflação-- está no período de coleta dos dados, já que o IPCA mede o mês calendário. A metodologia de cálculo é a mesma para os dois indicadores, apurando a variação de preços para famílias com renda de até 40 salários mínimos em 11 regiões metropolitanas do país.

(Reportagem adicional de Vanessa Stelzer)

Leia tudo sobre: ipca

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG