Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IPCA-15 recua para 0,63% em julho, mostra IBGE

RIO - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) teve alta de 0,63% em julho, depois de elevação de 0,90% um mês antes, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Redação com agências |

 

Apesar de continuar a ser responsável pela maior parte do índice mensal, o grupo alimentação e bebidas apresentou desaceleração na taxa de aumento de preços, que passou de 2,30% em junho para 1,75% em julho, salientou o organismo em nota divulgada nesta quinta-feira.

Os preços dos produtos não alimentícios também mostraram desaceleração no IPCA-15, passando de um aumento de 0,50% em junho para 0,29% em julho, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Uma das maiores contribuições para essa perda de ritmo foi dada pelo item energia elétrica, que mostrou recuo de 0,35% no mês, mesmo com o reajuste de 8,63% em vigor desde 4 de julho nas tarifas da região metropolitana de São Paulo.

Com contribuição de 0,40 ponto percentual, os produtos alimentícios foram responsáveis por 63% do IPCA-15 deste mês. No caso dos bens não alimentícios, o ritmo de crescimento também foi menos marcado - após subirem 0,50% em junho, verificaram agora avanço de 0,29%.

No acumulado do ano, o IPCA-15 situa-se em 4,33%. Nos 12 meses terminados em julho, o IPCA-15 subiu 6,30%, ultrapassando os 5,89% verificados nos 12 meses imediatamente antecedentes.

O IPCA-15 refere-se a famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

O indicador é uma prévia para o resultado do IPCA, índice escolhido pelo governo para balizar o regime de metas de inflação. O cálculo dos dois indicadores é baseado na mesma metodologia. A diferença ocorre apenas nos períodos de coleta de preços.

Para cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados de 14 de junho a 14 de julho e comparados com aqueles vigentes de 16 de maio a 13 de junho.

(Com informações do Valor Online e Agência Estado)

Leia mais sobre inflação

Leia tudo sobre: inflação

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG