SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros longos devolvem parte dos prêmios acumulados recentemente, enquanto os curtos continuam oscilando próximos dos patamares alcançados na semana passada, após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom). O gatilho para o ajuste de posições no pregão desta terça-feira foi a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de março. A prévia da inflação oficial mostrou alta de 0,55%, desacelerando de 0,94% registrado em fevereiro, dentro das expectativas do mercado.

O gestor da Brascan Gestão de Ativos (BGA), Luiz Fernando Romano, observou que o mais importante que a queda do índice cheio foi a redução nos núcleos do IPCA, que confirmaram uma trajetória de desaceleração.

No entanto, diz o especialista, o mercado já se ajustou ao indicador e agora está "parado", aguardando a ata do Copom que será apresentada na quinta-feira. O documento poderá dar melhor direção às apostas quanto à possibilidade de um aperto monetário na próxima reunião do colegiado, agendada para o fim de abril.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro para abril marcava leve alta, de 0,01 ponto percentual, para 8,63%. Julho de 2010 também subia 0,01 ponto, a 9,11%. E Janeiro de 2011 apontava 10,27%, ganho de 0,01 ponto.

Entre os vencimentos mais longos, janeiro de 2012 caía 0,01 ponto, a 11,63%. Janeiro 2013 cedia 0,03 ponto, a 12,08%. Janeiro 2014 também perdia 0,03 ponto, a 12,20%.

(Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.