SÃO PAULO - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) recuou para 0,48% em abril, depois de ficar em 0,55% um mês antes. Essa desaceleração foi atribuída ao movimento dos combustíveis, que ficaram 3,08% mais baratos.

SÃO PAULO - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) recuou para 0,48% em abril, depois de ficar em 0,55% um mês antes. Essa desaceleração foi atribuída ao movimento dos combustíveis, que ficaram 3,08% mais baratos. O levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que, em abril de 2009, no entanto, o IPCA-15 estava em 0,36%. No acumulado deste calendário, o indicador teve elevação de 2,51%, ou 1 ponto percentual acima da taxa verificada entre janeiro e abril do ano passado (1,51%). Em 12 meses, a alta correspondeu a 5,22%, contra os 5,09% dos 12 meses imediatamente anteriores. O IBGE mostrou que, na passagem de março para abril, os produtos e serviços não alimentícios saíram de 0,35% para 0,12%. Apesar da suavização, alguns itens importantes tiveram alta, como vestuário (0,08% para 1,08%) e remédios (-0,15% para 0,70%). Em Alimentação e bebidas, houve acréscimo de 1,71% em abril, excedendo a marca verificada um mês antes, de 1,22%. Dentre os índices regionais, a maior leitura ficou com Recife (1,02%). Na ponta oposta, apareceu Curitiba, onde o IPCA-15 ficou em 0,10%. Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados de 16 de março a 13 de abril e comparados com aqueles vigentes de 11 de fevereiro a 15 de março. O indicador refere-se às famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. (Juliana Cardoso | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.