Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os eventos domésticos são destaque na agenda de indicadores desta terça-feira, com atenção ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15) de junho. Para a Máxima Asset, a prévia da inflação oficial deve marcar 0,15%, desacelerando de 0,63% registrado em maio.

SÃO PAULO - Os eventos domésticos são destaque na agenda de indicadores desta terça-feira, com atenção ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15) de junho. Para a Máxima Asset, a prévia da inflação oficial deve marcar 0,15%, desacelerando de 0,63% registrado em maio. O recuo deve ser creditado ao alimentos, que passaram a mostrar deflação nas recentes coletas de preço. Ainda por aqui, o Banco Central (BC) apresenta a nota externa, como resultado da conta corrente e dos investimentos estrangeiros em maio. Já à tarde, a Receita Federal mostra a arrecadação de maio e o Conselho Monetário Nacional (CMN) se reúne. Vale lembrar que o encontro foi antecipado de quinta-feira para hoje. Em pauta, a meta de inflação de 2012, que deve ser mantida em 4,5%, e a definição da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que deve permanecer em 6%. Nos Estados Unidos, sai a venda de imóveis usados. A previsão sugere avanço de 7,5% no mês passado. Os investidores também conhecem o índice de atividade calculado pelo Federal Reserve (Fed) de Richmond. Na quarta-feira, merece atenção a decisão de juros do Fed. Por aqui, estão previstos a variação semanal do IPC, o fluxo cambial semanal e a nota de política monetária e crédito. (Eduardo Campos | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.